Lusofonia
 

 

O português é a 5ª. língua mais falada do mundo depois do Chinês (Mandarim), Hindi, Espanhol e Inglês e Bengali. Oito países adoptaram-no como língua oficial. O número de falantes ultrapassa hoje largamente os 240 milhões. Só no Brasil são mais de 200 milhões. Trata-se de um vasto universo de falantes que abrange todos os continentes, com uma enorme diversidade e riqueza de culturas e produções culturais.

Dada a enorme dispersão da emigração portuguesa e actualmente da brasileira, é fácil encontrar um falante de português em qualquer parte do mundo, mesmos nos sítios mais recônditos.

 

CPLP

Fundação da CPLP

 

 

A cooperação cultural limitou-se por razões óbvias, até 1974, aos acordos entre Portugal e o Brasil. Após a independência das restantes colónias, os novos países acabaram por chegar à conclusão que era preferível cooperar entre si do que se ignorem ou hostilizarem. A questão não foi e nem sido todavia tão simples.

A longa história em comum entre povos tão diversos, se foi marcada por aspectos positivos, muitos houve que foram também condenáveis, como a escravatura.

A ideia de criar uma comunidade de países de língua portuguesa que privilegiasse a cooperação em diversas áreas entre os seus membros foi lançada em 1983 pelo ministro dos negócios estrangeiros português durante uma visita oficial a Cabo Verde. Seis anos mais tarde, no Brasil, o ministro da cultura brasileira retomou-a e iniciou então um processo imparável. No dia 1 de Novembro de 1989, no Palácio dos Leões, em S. Luís do Maranhão, era criado formalmente um Instituto Internacional de lingua Portuguesa.

 

 A criação oficial de uma Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), foi anunciada diversas vezes, sendo apenas concretizada no dia 16 de Julho de 1996, sendo o documento constitutivo assinado por José Henrique Cardoso (Brasil), Primeiro-Ministro de S. Tomé e Principe), Joaquim Chissano (Moçambique),Aristides Maria Pereira (Cabo Verde), João Bernardo Vieira (Guiné-Bissau), Jorge Sampaio (Portugal) e José Eduardo dos Santos (Angola). Esta comunidade reuniu inicialmente 7 países, vindo mais tarde a juntar-se um novo país, Timor-Leste.

O primeiro secretário da CPLP foi Marcolino Mocco.

Organização:

Esta organização é composta por uma direcção colectiva dividida em quatro órgãos:

 

Conferência dos Chefes de Estado e do Governo. É a autoridade máxima e define estratégias da organização, 

 

Conselho de Ministros. Cabe-lhe a recomendação dos candidatos para o cargo de secretário executivo,

 

Comité de Concertação Permanente . Este orgão tem uma função fiscalizadora 

 

Secretariado Executivo. É o representante da organização.

 

 A subsistência da CPLP é assegurada através das quotas pagas pelos seus membros e contribuições voluntárias de entidades públicas e privadas.

Áreas de Cooperação

Político-diplomático

Um dos aspectos mais relevantes, é a cooperação em termos de política externa, possibilitando uma actuação mais eficaz de cada país nas organizações internacionais onde estiver representado.  

Cultura

Estes países partilham entre si não apenas uma língua, mas uma história em comum.Cultura, Educação, Formação Profissional são aspectos da maior relevância nesta cooperação. 

Economia

O objectivo, neste domínio, é potenciar as relações económicas entre os diferentes Estados, nomeadamente agilizando as trocas comerciais e fomentando os investimentos em sectores mais carenciados.

Carlos Fontes

 

Saber Mais

 

Símbolo da CPLP


Entrada | Editorial | Cibercultura | Lusofonia | Livros | Artes | Património | Política | Indicadores | Contactos